«

»

jul 02

Imprimir Post

Outros 28 DE ABRIL virão!

Um importante passo foi dado pela classe trabalhadora no dia 28 de abril: Greve Geral em todo o Brasil! Para muita gente, a maior mobilização da história do país.

Dos menores municípios às grandes metrópoles, do comércio aos metrôs, estradas e rodovias, terminais de ônibus, fábricas, órgãos públicos, escolas, no campo e na cidade, bastante coisa parou, muita gente se mobilizou. A união se fez força de uma maneira que ainda não havia acontecido desde o início da resistência ao golpe.

Paralisar a produção e a circulação de mercadorias inquietou o capital. Para impedir que a exitosa experiência da Greve Geral se converta em aprendizado e confiança, o principal braço do partido da burguesia, a TV Globo,  apressou-se em camuflar a verdadeira autoria dos fatos, transferindo da luta popular para a delação premiada o poder de fazer cambalear no cargo o excelentíssimo senhor golpista Michel Temer.

A manobra visa também acumular em torno da emissora a credibilidade necessária para influenciar com maior peso a escolha de um eventual substituto farsante que esteja à altura de cumprir com as metas traçadas pelas grandes empresas e bancos que governam quem governa o país.

No dia 24 de maio, no #ocupabrasilia, a convocação de tropas das Forças Armadas em nome da Garantia da Lei e da Ordem não veio sem uma correspondente propaganda midiática que visou justificar a repressão ao apresentar a resistência do povo como sinônimo de caos social. A burguesia golpista deixou nítido que só aceitará a não aceitação do golpe se a forma de fazê-lo estiver conforme as regras por ela determinadas.

Do outro lado, a consciência dos impactos das medidas que retiram direitos da maioria e bonificam privilégios de uma reduzida elite levou à consciência da necessidade da unidade e da luta da gente impactada. Em consequência, as mobilizações forjam a consciência sobre a eficácia de determinadas formas de luta, em detrimento de outras, pouco eficientes. Esse alargamento na forma de pensar, sentir e agir em coletivo tenciona para que se extrapole as regras impostas pela dominação.

Por esse motivo, os poderosos tremem ante a possibilidade que outros 28 de Abril se multipliquem e desenvolva na classe trabalhadora a consciência de que o fim das opressões e da exploração está condicionado fundamentalmente à sua capacidade de organização e de luta.

O papel das direções continua fundamental. As que não tiverem “desaprendido a aprender”, contribuirão ativamente para o avanço do processo. As demais, mais cedo ou mais tarde, serão devidamente atropeladas pela marcha da História.

Que tremam os opressores. Outros 28 de Abril virão!

Link permanente para este artigo: http://www.redentoristasfortaleza.org.br/nota/770

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>